Brasileiro se alimenta melhor, mas faz menos exercícios

Jornal do Brasil

RIO - Nem tudo é perfeito. O brasileiro está tendo uma alimentação mais saudável. Por outro lado, tem feito menos exercícios. É o que mostra estudo do Ministério da Saúde, divulgado quarta-feira. Os números principais do levantamento feito em 2009 revelam que 30,4% da população com mais de 18 anos optam por consumir frutas e hortaliças cinco ou mais vezes na semana, sendo que 18,9% contra 7,1% em 2006 consomem cerca de cinco porções diariamente destes alimentos, considerados mais saudáveis.

Quanto aos exercícios, só 14,7% dos adultos fazem atividades físicas no tempo livre com a regularidade considerada ideal 30 minutos diários, cinco vezes por semana. Considerando aqueles que se deslocam para o trabalho ou para escola a pé ou de bicicleta, o índice vai a 30,8%.

A alimentação adequada e a prática regular de exercício ajudam a prevenir doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão e câncer diz o ministro da Saúde, José Gomes Temporão.

Sedentários

Os dados sobre o perfil da alimentação do brasileiro e o hábito de fazer atividade física integram levantamento realizado todo ano pelo ministério. Foram entrevistadas 54.367 pessoas entre 12 de janeiro e 22 de dezembro de 2009. Apesar da melhora relativa nos hábitos alimentares, o ministério alerta para o aumento no consumo de alimentos com alto teor de açúcar e gordura e do número de sedentários no país.

Hoje observamos um predomínio de alimentos com alto teor de gordura e açúcar na dieta do brasileiro, e isso não é compensado com aumento de atividades físicas. Pelo contrário, as pessoas estão mais sedentárias alerta Deborah Malta, uma das responsáveis pela pesquisa.

O estudo mostra que houve aumento do número de sedentários no país, que hoje representam 16,4% da população. São pessoas que não fazem nenhuma atividade física no tempo livre, nos deslocamentos, na limpeza da casa ou outros trabalhos pesados. Esse índice é 24% maior que o registrado em 2006, quando havia 13,2% de sedentários.

A televisão é um dos fatores que levam ao sedentarismo, diz a pesquisa, que mostrou que 25,8% dos adultos passam três ou mais horas em frente à TV, cinco dias ou mais na semana.

Isso demonstra que as pessoas optam cada vez mais por um lazer passivo em vez de praticar esportes ou outras atividades físicas afirma Deborah.

Se em relação às atividades físicas, a situação piorou, por outro lado está havendo uma maior preocupação com o consumo de frutas e hortaliças. A mudança seria resultado da conscientização da população, devido tanto a programas oficiais quanto à difusão de informações sobre alimentos saudáveis pelos meios de comunicação.

Carnes

Um dos aspectos considerados positivos quanto ao hábito alimentar do brasileiro é a queda de 15,8% no consumo de carnes vermelhas gordurosas ou pele de frango. Em 2009, 33% dos adultos comiam carnes com excesso de gordura contra 39,2% em 2006.

Se a televisão é a vilã do sedentarismo, os refrigerantes e sucos artificiais açucarados cumprem este papel no quesito alimentação. Ao todo, 76% dos adultos bebem esses produtos pelo menos uma vez na semana, e 27,9%, cinco vezes ou mais na semana. Na faixa de 18 a 24 anos, o índice sobe: 42,1% bebem refrigerantes quase todos os dias

Já o consumo de feijão está caindo. Rico em fibras e ferro, em 2009 fez parte do cardápio de 65,8% dos adultos cinco ou mais vezes na semana. Em 2006, o índice era 71,9%, uma queda de 8,4% em três anos.

O feijão requer tempo de preparado e pressupõe uma comida caseira. Com a mudança no estilo de vida da população, ele está saindo da rotina do brasileiro afirma Deborah.