Voluntários se preparam para simular uma viagem a Marte

Jornal do Brasil

MOSCOU - Os franceses Romain Charles e Arc´hanmael Gaillard, o belga Jerome Clevers e o colombiano Diego Urbina treinam desde o fim de fevereiro na Cidade das Estrelas, próxima a Moscou, para se prepararem, como verdadeiros astronautas, às condições de uma longa estadia no espaço. Entretanto, eles não sairão da Terra, mas dois deles serão escolhidos no fim do treinamento de três meses para simular a expedição, isolando-se, por 520 dias, junto com três russos e um chinês em um conjunto de três contêineres do Instituto russo de Problemas Biomédicos, na periferia de Moscou.

A comunicação com o mundo exterior não será possível durante os primeiros meses. Posteriormente, serão necessários 20 minutos para que as mensagens escritas cheguem à Terra.

O experimento se destina a estudar os efeitos psicológicos e fisiológicos de um longo confinamento, em particular o estresse, a regulação hormonal, a imunidade, a qualidade do sono, o humor etc.

Quando os primeiros humanos colocarem o pé em Marte, poderei dizer que contribuí para isso. disse Urbina. E nos dão roupas espaciais, o que também é simpático.

Urbina, engenheiro, assim como seus três colegas europeus, tem 26 anos e já participou de uma simulação de viagem a Marte de 15 dias nos EUA.

Passei muito tempo explicando o projeto para minha namorada. Finalmente, conseguimos um acordo disse o francês Romain Charles.

Arc´hanmael Gaillar, outro candidato francês, tem 34 anos e já foi pré-selecionado no ano passado para a experiência Marte 105, que durou pouco mais de três meses.

Para os selecionados, a vida nos três contêineres hermeticamente fechados não será ociosa, mas ritmada por uma rotina de tarefas precisas distribuídas a cada membro da tripulação.

Sem mulheres

Nenhuma mulher foi selecionada para este experimento, já que sua presença a bordo complicaria a realização da missão, declara Martil Zell, da direção de voos tripulados da ESA.

As mulheres têm essa capacidade de fazer que o sorriso venha ao nosso rosto. Isso vai nos faltar lamentou Urbina.