FarmVille retém dinheiro de doação destinada ao Haiti

Darius Roos, Portal Terra

SÃO PAULO - A produtora Zynga, responsável pelo jogo FarmVille, é suspeita de enganar jogadores internautas e reter parte do dinheiro arrecadado por meio de doações feitas por eles (jogadores) a campanhas humanitárias, como a que se destinava a ajudar as vítimas do terremoto no Haiti, em janeiro de 2010

No ano passado, a companhia teria arrecadado US$ 2,7 milhões em doações, porém doado somente metade do valor. A empresa diz que a fatia retirada é uma "prática comum" nesses casos. E diz informar aos usuários do jogo a respeito da divisão dos valores doados.

Mas a companhia se recusa a mencionar o valor arrecadado, porque a Zynga é "uma empresa privada e esta é uma informação ligada à competitividade", conforme alegado em reportagem do jornal Folha de S. Paulo.

Conforme reportagem, a empresa informou que "doou 50% de valores arrecadados antes do terremoto para as instituições haitianas Fonkoze (de microcrédito), e Fatem, voltada à tecnologia da informação".

O jornal verificou que uma das organizações citadas, a Fatem, recebeu somente US$ 192 mil da Zynga.

A Zynga diz que contribuiu, nos primeiros cinco dias de campanha para o Haiti, com 100% do que era doado, o que representou US$ 1,5 milhão. Mas, entretanto, a arrecadação durou pelo menos 10 dias (não somente cinco).

De acordo com a resportagem, os jogadores eram convidados a fazer doações de US$ 5, US$ 10, US$ 20, US$ 30 ou US$ 40 para as vítimas, mas, feito o pagamento, revelava-se que eles não estava contribuindo diretamente com o Haiti. Para ajudar, era necessário plantar e colher "milho branco virtual" (a popular canjica) e, então, tudo o que fosse plantado e colhido é que seria enviado ao Haiti.

Conforme o jornal, "quem comprou US$ 40 jamais conseguiria gastar o total, porque a campanha tinha duração preestabelecida, e não haveria tempo para contribuir" com todo o dinheiro adquirido.

FarmVille reúne mais de 80 milhões de jogadores em todo o mundo, cerca de 20% dos usuários do site Facebook. No Brasil, 1,125 milhão de pessoas experimentaram o jogo em janeiro de 2010 (15% dos usuários brasileiros do site), segundo Ibope.