Estudo: meditar melhora humor e desempenho em tarefas complexas

Portal Terra

SÃO PAULO - Exercícios de meditação podem aumentar a resistência mental em soldados em preparação para uma guerra, mantendo-os a salvo de se tornarem "excessivamente emocionais", afirmam pesquisadores. Novas pesquisas constataram que o treinamento de consciência plena - que ensina a pessoa a permanecer em estado de alerta sem se tornar vulnerável emocionalmente, como uma "blindagem mental" - melhorou o humor dos soldados da Marinha dos EUA enquanto se preparavam para os trabalhos no Iraque. A prática da "mente vazia" também melhorou o desempenho dos soldados em tarefas mentalmente complexas.

O estudo publicado no site Live Science, envolveu 48 fuzileiros navais que seriam enviados ao Iraque. Durante as oito semanas antes do embarque, 31 dos participantes passaram duas horas em exercícios de meditação por semana, enquanto outros 17 homens não tinham nenhuma prática especial. Os 31 fuzileiros navais, todos homens, escolhidos para realizar os exercícios, tiveram a "lição de casa" de praticar a mediação durante 30 minutos por dia. Os exercícios incluíram respiração focada respiração e sessões de meditação.

Durante o treinamento, os soldados responderam a questionários sobre seu estado de espírito e a testes de matemática e memória para verificar a sua memória de trabalho. A memória de trabalho permite o armazenamento e a recuperação de informações de curto prazo. A questão levantada pelos cientistas era se a meditação focada na melhora da memória de trabalho iria também melhorar a capacidade dos soldados de controlar suas emoções.

Segundo os resultados apresentados, aqueles que fizeram o seu dever de casa realmente tiveram um aumento da capacidade da memória. E, comparados aos soldados que não realizaram o treinamento diário, reportaram um humor geral mais positivo.

"Os resultados realmente dão suporte à idéia de que se você trabalha a mente tem impactos positivo sobre ela", afirma Susan Smalley, diretora do Centro de Pesquisas da Consciência da UCLA. "Você não só tem que aprender a meditar, tem que praticar."

De acordo com o co-autor do estudo, o neurocientista Amishi Jha da Universidade da Pensilvânia, a chave é praticar esses exercícios de atenção diariamente, tal como se faz com qualquer outro exercício.