Observatório divulga imagem de nebulosa "Pata de Gato"

Portal Terra

SANTIAGO - O Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês), no Chile, divulgou a imagem de uma das nuvens de formação estelar mais ativas da Via Láctea, a galáxia da Terra: a nebulosa "Pata de Gato". A nebulosa, também conhecida pelo nome de NGC 6334, fica em uma complexa zona de gás e poeira onde nascem numerosas estrelas massivas.

A concepção artística da "Pata de Gato" foi criada a partir de imagens captadas pelo instrumento Wide Field Imager (WFI). O equipamento está instalado em um telescópio de 2,2 m no Observatório de La Silla, um dos três utilizados pelo ESO no Chile. Segundo os cientistas, a nuvem, registrada pela primeira vez em 1837 pelo astrônomo britânico John Herschel, parece a pegada gigante de um "gato cósmico" solto pelo universo.

A "Pata de Gato" está a cerca de 5,5 mil anos-luz em direção à constelação de Escorpião e cobre uma área do céu um pouco maior que a Lua cheia, com uma extensão de cerca de 50 anos-luz. Sua cor avermelhada se deve ao gás hidrogênio do resplendor de estrelas jovens e quentes que nascem em seu interior, com uma massa 10 vezes superior à do Sol.

De acordo com o ESO, a nebulosa pode conter dezenas de milhares de estrelas mergulhadas na poeira cósmica, o que dificulta o seu estudo. As nebulosas são nuvens de poeira, hidrogênio e plasma, com intensa formação de estrelas, e podem ter vários formatos e cores.