FAO: Áreas de pastagens podem ajudar no combate às mudanças climáticas

Daniela Traldi, Rádio das Nações Unidas

NOVA YORK - Um estudo recente da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, revela que as áreas de pastagens têm vasto potencial ainda não explorado de mitigação das mudanças climáticas através de absorção e armazenamento de CO2.

Segundo o relatório, essas regiões representam uma concentração de carbono maior do que as florestas caso sejam devidamente administradas.

O documento da FAO mostra que existem 3,4 bilhões de hectares de pastagens no mundo que abrangem cerca de 30% da superfície de terras onde não há presença de gelo.

O texto alerta que esses locais podem também desempenhar papel importante no apoio à adaptação e vulnerabilidade às alterações do clima de mais de um bilhão de pessoas que dependem do gado para viver.

O diretor-geral assistente da FAO, Alexander Müller, afirmou que o mundo vai ter que usar todas as opções para conter o aquecimento global.

Ele disse que a agricultura tem potencial para ajudar a minimizar as emissões líquidas de gases de efeito estufa por meio de práticas específicas, como construção do solo e biomassa de carbono.

Segundo o estudo da FAO estima-se que as áreas de pastagens possam armazenar 30% do carbono do mundo no solo.