Greenpeace pede libertação de ativistas presos na COP-15

Portal Terra

SÃO PAULO - Um protesto realizado pelo Greenpeace nesta quarta-feira em frente ao Consulado Geral da Dinamarca, em São Paulo, pediu a liberdade de quatro ativistas da ONG que foram presos na capital dinamarquesa, Copenhague, durante a realização da Conferência do Clima (COP-15). Os ambientalistas foram detidos quando participavam de um protesto pacífico no palácio de Christiansborg.

Durante um jantar oferecido pela família real dinamarquesa a mais de 100 chefes de Estado que participavam do evento climático, eles esticaram uma faixa com os dizeres "Políticos falam. Líderes agem". Mesmo sem julgamento, os quatro - um dinamarquês, um espanhol, um suíço e um holandês - podem ficar presos até o dia 7 de janeiro em regime de comunicação restrita.

Os escritórios do Greenpeace na Espanha, Holanda, Noruega, Suíça, México, Argentina, Alemanha e Áustria também realizaram manifestações pedindo a libertação dos ativistas.