Lula: Copenhague tem que ter resultados claros e ambiciosos

Laryssa Borges, Portal Terra

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva cobrou nesta terça-feira resultados "claros e ambiciosos" dos países desenvolvidos que participarão da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, em dezembro, em Copenhague (Dinamarca). Lula, que recebe em Brasília o presidente da República Tcheca, Václav Klaus, recordou que o Brasil "está fazendo sua parte" e espera reduzir suas emissões de gases poluentes em cerca de 40% até 2020.

O rol de propostas do Brasil para conter os efeitos das alterações no clima incluem a ampliação de práticas agrícolas sustentáveis e um acordo com siderúrgicas para que o carvão vegetal utilizado por elas sejam resultado de reflorestamento, e não da derrubada de vegetação nativa. Essas propostas incluem ainda o compromisso de redução em 80% do desmatamento da Amazônia até o ano de 2020 (em relação à média entre os anos 1996 e 2005).

- Os países em desenvolvimento têm consciência de suas responsabilidades. O Brasil está fazendo sua parte. Vamos reduzir em quase 40% nossas emissões estimadas para 2020. Acredito que todos os países, especialmente os mais ricos, devem fazer com que a Cúpula de Copenhague produza resultados claros e ambiciosos - observou o mandatário brasileiro. Mesmo com as propostas climáticas, o presidente Lula estimou que o crescimento da economia no próximo ano deve superar o patamar de 5%.

- Na contramão da tendência mundial, a economia brasileira retomou um crescimento vigoroso ainda este ano. Isto nos dá certeza de que, em 2010, a expansão do PIB (Produto Interno Bruto) será superior a 5% - declarou.

Pelos cálculos do governo, todas as políticas de contenção das emissões de gás carbônico, sem as quais o País terá crescimento de cerca de 30% no lançamento de gases na atmosfera, levam em conta cenários de crescimento econômico de 4%, 5% e 6% ao ano.