Líderes devem selar acordo climático pessoalmente, diz Brown

REUTERS

LONDRES - Os líderes mundiais precisam mediar pessoalmente a negociação do acordo climático global a ser definido na reunião de dezembro da ONU em Copenhague, disse nesta segunda-feira o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown.

Ele é um dos poucos líderes das principais economias que anunciaram a intenção de ir à conferência de 7 a 18 de dezembro, onde ministros de Meio Ambiente do mundo todo assinarão um tratado que prorrogue ou substitua o Protocolo de Kyoto, o que inclui metas de reduções das emissões de gases do efeito estufa nos países desenvolvidos e ajuda aos países pobres para se adaptarem à mudança climática.

- O sucesso em Copenhague ainda é alcançável. Mas, se falharmos, a própria Terra estará em risco - disse Brown a representantes de 17 das principais nações poluidoras do mundo, reunidos em Londres.

As negociações se arrastam em meio a propostas complexas e um clima de desconfiança mútua entre países industrializados e em desenvolvimento.

- Nas semanas que restam até Copenhague e nas duas semanas de conferência em si irei trabalhar incansavelmente com outros líderes para negociar um acordo - disse Brown. - Tenho dito que irei a Copenhague, e estou encorajando-os a assumir o mesmo compromisso - acrescentou.