Brasil propõe meta climática para todos os países da Amazônia

REUTERS

SÃO PAULO - O Brasil quer que todas as nações amazônicas adotem uma meta conjunta para a reunião climática da Organização das Nações Unidas em dezembro, disse na segunda-feira o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O país vem buscando uma posição mais ativa nas discussões climáticas, visando à redução das emissões globais dos gases do efeito estufa, responsáveis pelo aquecimento do planeta.

Lula cogita convidar os presidentes dos países abrangidos pela Amazônia para discutirem a questão em 26 de novembro, disse ele a jornalistas após uma reunião em São Paulo com seu colega colombiano, Álvaro Uribe.

O Brasil é um dos maiores emissores mundiais de gases do efeito estufa e deve anunciar até o final do mês as metas de redução que está disposto a assumir na reunião climática da ONU em Copenhague, que deve adotar um tratado que prorrogue ou substitua o Protocolo de Kyoto.

Uma das possibilidades cogitadas é que o Brasil congele suas emissões nos níveis de 2005.

Lula disse na semana passada que o Brasil, que ocupa a maior parte da Amazônia, reduzirá o desmatamento em 80 por cento até 2020, em relação à média de 1995 a 2005.

A Amazônia também abrange os territórios de Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Suriname, Guiana e Guiana Francesa.