Intoxicação por medicamento ocorre principalmente em crianças pequenas

JB Online

RIO DE JANEIRO - A ingestão indevida de remédios é uma das principais causas de intoxicação no Brasil. No caso das crianças, quase metade das ocorrências são acidentais.

Uma das causas para o acidente é a própria aparência dos remédios pediátricos, pois como são apresentados em cor, odor e sabor atraentes para crianças, é comum que sejam confundidos com guloseimas e consumidos por acidente.

- É importante que os pais não reforcem essa percepção e expliquem às crianças que se trata de um remédio, não de bala ou bombom e que não pode ser consumido à vontade - afirma Sônia de Lourdes Liston Colina, pediatra do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos.

As chances da intoxicação acidental (pela própria criança) é maior nos pré-escolares, em geral mais curiosos. Em crianças menores, o problema mais comum é intoxicação após erro na dosagem de medicamentos.

As reações adversas podem variar de intensidade dependendo da quantidade e da composição química do medicamento ingerido por acidente. Em pequenas doses, é mais comum a intoxicação por analgésicos, antitérmicos, antiinflamatórios, antigripais e vitaminas. Nesses casos, as manifestações podem variar de vômitos, diarréia, desidratação, hipertermia e acidose metabólica.

Já as reações pela ingestão de psicofarmacos (remédios usados para problemas psíquicos) em doses maiores podem variar desde sonolência, agitação e taquicardia até o coma.

É fundamental que o medicamento seja armazenado em local fora do alcance de crianças.

- Quando intoxicada por medicamento, a criança sofre conseqüências mais sérias comparando-se com um adulto, pois possui uma estrutura corporal menor e seu metabolismo é rápido. Além disso, seu organismo é menos capaz de lidar com toxinas químicas - conclui a pediatra.

Veja algumas dicas para evitar a intoxicação de crianças com remédios em casa:

-Ler com atenção a receita e nunca tomar ou administrar medicamentos no escuro.

-Não administrar medicamento por conta própria.

-Não enganar a criança ao administrar medicamento.

-Manter medicamento em armário trancado.

-Descartar restos de medicamentos, especialmente, vencidos.

-Não guardar medicamentos junto de alimentos.

-Manter produtos químicos, de limpeza, inseticidas, plantas, fora do alcance de crianças.

-Manter embalagens originais para evitar confusão.

-Orientar os pais que boa parte dos acidentes acontecem em outras casas.