Estudo explica imunidade ao vírus H1N1 em idosos

REUTERS

WASHINGTON - Pessoas idosas que contraíram ou se vacinaram contra a gripe sazonal podem ter uma imunidade produzida por células que as protege do vírus H1N1, responsável pela gripe suína, disseram pesquisadores nesta quarta-feira.

Eles disseram que partes do H1N1 foram encontrados em cepas de vírus anteriores e que algumas pessoas com mais de 60 anos de idade, que já foram expostas a vírus similares, podem ter células capazes de protegê-las.

- Estas descobertas indicam que populações humanas podem ter algum nível de imunidade à gripe H1N1 e podem explicar porque os sintomas de 2009 relacionados ao H1N1 são geralmente brandos - disse Carol Cardona, da Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Califórnia. O estudo dela foi publicado pela revista Emerging Infectious Diseases.

Cardona disse que células de imunidade podem estar atuando para enfraquecer os efeitos da gripe H1N1.

- O significado clínico é que você ficará doente, mas não será tão grave se fosse como se você não tivesse nenhuma imunidade - disse Cardona em entrevista por telefone.

Cardona e a colega Zheng Xing analisaram dados de estudos anteriores sobre o vírus H1N1, observando pequenos estiramentos de proteínas encontradas em regiões do vírus menos vulneráveis a mudanças entre cepas.

De acordo com os Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês), a maioria dos casos graves e mortes relacionadas à gripe H1N1 foi em pacientes com menos de 65 anos.

- São os mais jovens que estão sendo hospitalizados - disse Tim Uyeki, do CDC, durante encontro da Organização Pan-Americana da Saúde nesta quarta-feira.

O médico Yoshi Kawaoka, da Universidade de Wisconsin, disse que os estudos mostraram que aqueles nascidos em 1918 ou antes possuíam vários anticorpos contra o novo vírus, que deve se assemelhar a um primo distante da gripe espanhola, de 1918.