Gripe suína é confirmada em 51 soldados americanos no Iraque

Portal Terra

DA REDAÇÃO - Cinquenta e um soldados americanos no Iraque foram diagnosticados e submetidos a tratamento por gripe suína. Outros 71 militares permanecem em isolamento com suspeita de ter contraído o vírus Influenza H1N1.

Os números foram divulgados neste domingo por agentes de saúde iraquianos, que também confirmaram a primeira morte por gripe suína no país. O chefe de operações clínicas no Iraque, coronel Michael Eisenhauer, afirmou que os 51 casos confirmados estão plenamente recuperados.

Segundo Eisenhauer, todos os soldados que estiverem com febre, dor de garganta ou tosse serão isolados com suspeita da gripe. Os Estado Unidos haviam informado anteriormente que quaisquer eventuais casos de ocorrência do vírus seriam comunicados ao governo iraquiano, em um acordo de colaboração entre os dois países.

Na última sexta-feira, os EUA informaram que 436 pessoas morreram por causa da gripe suína no país, onde 6.506 pacientes estão hospitalizadas pela doença. A gripe afeta os 50 Estados do país, além do Distrito de Columbia, onde fica a capital americana, os territórios de Samoa, Guam, as Ilhas Virgens e o estado livre associado de Porto Rico.