OMS vai deixar de registrar casos individuais de gripe suína no mundo

Agência Brasil

GENEBRA - A Organização Mundial da Saúde (OMS) vai deixar de registrar casos individuais de infecção pela influenza A (H1N1) gripe suína mas vai continuar a acompanhar a evolução da pandemia.

Em nota, a OMS informa que o vírus tem se disseminado com uma velocidade sem precedentes. - Nas últimas pandemias, o vírus da influenza precisou de mais de seis meses para se espalhar pelo mundo, enquanto o H1N1 se propagou em menos de seis semanas - afirma o comunicado.

De acordo com a OMS, o aumento no número de casos em diversos países por transmissão sustentada quando o vírus circula e deixa de ser transmitido pessoa a pessoa torna extremamente difícil, se não impossível que governos confirmem o diagnóstico por meio de laboratório. Essa era a exigência para que os números constassem dos boletins emitidos pela organização.

- A contagem de casos individuais não é mais necessária em tais países para o monitoramento do risco oferecido pela pandemia, nem mesmo para a implementação das medidas consideradas mais apropriadas - destaca a nota.

O último balanço divulgado pela OMS, datado de 6 de julho, registrava 94.512 casos e 429 mortes por gripe suína no mundo.