Gripe: Rio Grande do Sul recomenda que grandes eventos sejam adiados

Portal Terra

DA REDAÇÃO - Devido à situação de alerta epidemiológico pelos casos de infecção pelo vírus Influenza A (H1N1), que causa a gripe suína, a Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul, orientou, em nota emitida nesta segunda-feira, que eventos de grande porte devem ser adiados para que seja evitada a proliferação do vírus.

"Recomenda-se o adiamento daqueles que impliquem na concentração de grande número de pessoas, especialmente quando devam receber viajantes procedentes de países e regiões com transmissão da Influenza A (H1N1) e promoverem convivência em ambientes fechados", diz a nota.

Segundo a secretaria, a medida deve ser adotada por conta do grande número de casos na América do Sul, principalmente na Argentina e Chile. Pela proximidade com a Argentina, de onde a maior parte dos casos de gripe suína é importada, o Rio Grande do Sul aumentou os pontos de fiscalização na fronteira.

Os casos confirmados no Estado são ligados a situações de viagens ou contatos internacionais, sem evidência de circulação do vírus em território nacional. Segundo a secretaria, 300 hospitais públicos e privados foram recrutados para atender pacientes com gripe suína. Em todo o Estado, há 104 casos confirmados da doença, segundo o Ministério da Saúde. No último domingo, um gaúcho de 29 anos morreu após contrair a doença. Foi a primeira e única vítima fatal registrada no País.

No Brasil

Segundo o Ministério da Saúde, há 885 casos da doença no Brasil. O Estado mais afetado é São Paulo, com 399 ocorrências. O ministério acompanha 1.414 casos suspeitos da doença.