Após 1ª morte, RS muda estratégia de combate à gripe suína

Matheus Pessel, Portal Terra

PORTO ALEGRE - O secretário estadual de Saúde do Rio Grande do Sul, Osmar Terra, anunciou neste domingo a mudança no modo como o Estado vai tratar os casos de gripe suína. A partir de segunda-feira, todos os hospitais devem estar preparados para receber pacientes com suspeita da doença.

Antes da confirmação da primeira morte do País, que ocorreu na manhã deste domingo, apenas o Hospital Conceição, em Porto Alegre, estava preparado para receber casos de influenza A(H1N1).

Terra afirmou que todos os hospitais de Porto Alegre já aceitaram a mudança e os hospitais do interior já foram comunicados. Os postos de saúde também deverão se preparar para receber eventuais pacientes.

Segundo o secretário de Saúde, o primeiro caso de morte confirmada no País é de um caminhoneiro de 29 anos que pegou a doença na Argentina no dia 15 deste mês. Ele voltou para o Brasil no dia 19 e procurou um médico no dia 20, sendo internado em Erechim cinco dias após a contaminação.

Ele piorou ao longo dos dias até entrar em coma. No dia 23, o paciente foi transferido para um hospital em Passo Fundo, chegando a morrer às 10h deste domingo. Toda a família do caminhoneiro está sob observação.

O vice-diretor médico do Hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo, Júlio Stobbe, informou que a mulher da primeira vítima fatal da gripe suína teve confirmação do exame para a doença.

Osmar Terra afirmou ainda que o americano que morreu essa semana no Rio Grande do Sul foi vítima de pneumonia bacteriana. Apesar disso, não está descartada a hipótese que ele estivesse com gripe suína. A confirmação deve ocorrer ainda nesta noite.