Telefônica apresenta plano e espera voltar a vender Speedy em 30 dias

Mariana Jungmann , Agência Brasil

BRASÍLIA - O presidente da Telefônica, Antônio Valente, disse esperar que a empresa seja autorizada a comercializar novamente o serviço de banda larga de internet (Speedy) antes dos 30 dias de conclusão da primeira fase do plano que apresentou hoje (26) ao Conselho Consultivo da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O plano, que tem três fases, visa a recuperar e reestruturar a oferta do serviço, que será completamente concluído em 180 dias.

- Acreditamos que, se a Anatel estiver confortável com a solidez e a eficácia do plano que estamos apresentando, teremos autorização para reiniciar o processo de comercialização, ainda que tenhamos algumas restrições. E que isso possa ocorrer antes dos 30 dias - afirmou Valente.

Na primeira fase do plano, a Telefônica deve recuperar os pontos que apresentaram instabilidade e levaram aos apagões que deixaram até a Polícia Civil de São Paulo sem internet. Conforme exposição feita hoje por técnicos da companhia na Anatel, as interrupções foram causadas por vários fatores, entre eles a incapacidade das redes por onde correm os dados para atender ao tráfego intenso, a vulnerabilidade provocada por intervenções da própria Telefônica, a fim de tentar melhorar o sistema e protegê-lo de ataques externos.

Segundo Valente, cerca de R$ 70 milhões serão investidos em ações para aumentar a capacidade dos equipamentos de DNS que são os que transformam o endereço digitado em código e número que será reconhecido pela rede e dos cabos submarinos que ligam o sistema aos Estados Unidos. Aumentando também a Rede IP, por onde trafegam os dados, a empresa espera que não haja mais interrupções no serviço.

Na segunda fase do plano, que será concluída em 90 dias, serão tomadas medidas semelhantes, mas ampliando ainda mais a capacidade desses itens.

- Nessa caso, já dependeremos da importação de equipamentos, o que leva tempo. Mas talvez a gente consiga concluir até antes desses 90 dias - afirmou Valente.

Por fim, em até 180 dias, a empresa espera concluir a última fase do plano, em que serão feitas intervenções na rede para promover serviços de upgrade (atualização, elevação de nível).

- Quando fazemos intervenções, a rede fica vulnerável. Então, vamos cuidar de toda essa ampliação antes de recomeçar essas intervenções, que serão mais frequentes em função do aumento do tráfego, de modo que elas se tornem mais seguras - explicou o presidente da Telefônica.

Com isso, disse ele, a expectativa é que, ao fim, a empresa tenha uma das redes mais seguras e confiáveis da América Latina . A Telefônica é responsável por cerca de 70% do serviço de banda larga no estado de São Paulo e por 28% de todas as reclamações que o Procon do estado recebe por mês. Valente admitiu os "erros do passado" e espera que, com as melhoras, o nível de atendimento ao cliente também seja elevado.