Urologistas recomendam acompanhamento desde a infância

JB Online

RIO DE JANEIRO - Quando o assunto é a saúde dos filhos, as preocupações são tão constantes quanto as dúvidas. Para resolver essas questões, o pediatra costuma ser sempre a primeira opção dos pais, mas o que muitos desconhecem é a importância das consultas regulares com um urologista já na infância. O especialista, que equivocadamente é conhecido por cuidar somente de patologias do órgão sexual masculino, é responsável pelo tratamento de todo o sistema urinário e suas complicações em ambos os sexos.

- O pediatra é o especialista que cuida durante toda a infância, mas pode acontecer de passar desapercebido um problema nos genitais. Por isso é fundamental que seja feita uma avaliação com o urologista - reforça Eloísio Alexsandro da Silva, urologista da Santa Casa de Misericórdia.

Segundo o médico, as principais dúvidas dos pais são sobre a limpeza dos genitais. Com relação às meninas, um dos cuidados é evitar o uso de cremes e pós na região vulvar para não haver irritação da mucosa.

- O ideal é que seja feita uma limpeza externa nos genitais a cada mudança de fraldas. A higiene deve ser com lenços úmidos para bebê, hipoalergênicos, e que não contenham álcool. Quando maiores, as meninas devem aprender a fazer o movimento de limpeza correto ao irem ao banheiro, ou seja, de frente para trás evitando contato do conteúdo fecal com a vagina - ensina o especialista.

Já entre os meninos, a fimose é o que mais preocupa. O urologista explica que, na tentativa de limpar o pênis, muitos pais forçam a pele para expor a glande:

- Eles querem agilizar o processo da cirurgia para tratar da fimose considerando que podem prejudicar o crescimento do pênis. Isso é mito. A fimose não corresponde a qualquer tipo de alteração relacionada ao tamanho do órgão.

Segundo Eloísio, somente 20% dos meninos conseguem expor a glande aos seis meses. Até os três anos de idade, esse número pode chegar a 90%.

Primeira consulta

O especialista recomenda que toda criança faça ao menos uma avaliação urológica anual a partir do primeiro ano de vida, mesmo sem apresentar qualquer anomalia ou patologia. Nos meninos, o médico avalia se o tamanho do pênis é compatível com a idade e se apresenta alguma anomalia.

- O micropênis deve ser investigado, pois pode estar relacionado a uma doença causada pelo Hipogonadismo, que é a baixa produção de hormônios de testosterona. Em geral, o tratamento é realizado com creme ou injeção para repor o hormônio que está ausente - esclarece.

No caso das meninas, Eloísio lembra que uma das anomalias encontradas é a hipertrofia do clitóris, ou seja, quando o clitóris cresce além do normal.