Nasa quer levar o homem de volta à Lua em 10 anos

Jornal do Brasil

CHICAGO - A Nasa lançou com sucesso nesta quinta-feira o foguete Atlas 5 com duas sondas que vão tentar descobrir água na Lua para a futura criação de uma base lunar permanente. A ideia é que em 10 anos, o homem volte ao satélite, mas, desta vez, para passar períodos maiores.

A missão acontece no momento em que a Nasa inicia os preparativos para lembrar o 40º aniversário do dia em que o astronauta Neil Armstrong se tornou o primeiro homem a pisar na Lua, em 20 de julho de 1969.

Serão quatro dias de viagem até chegar à Lua. Lá, uma das sondas vai percorrer os 3,5 mil quilômetros de diâmetro do satélite e transmitir para a Terra imagens que nenhum telescópio consegue captar. O custo do projeto é de US$ 583 milhões.

Marte

Trata-se da primeira etapa para preparar missões de exploração habitada para Marte e para o conjunto do Sistema Solar.

O foguete vai colocar na órbita da Lua as sondas Reconhecimento Lunar Orbital (LRO, em inglês) e o Satélite Sensor e de Observação de Crateras Lunares (LCROSS).

A principal tarefa do LRO será buscar possíveis pontos de pouso para as naves tripuladas que partirão à Lua nos próximos anos.

Já o LCROSS dirigirá o segmento superior do foguete Atlas 5 em uma trajetória de impacto sobre a superfície do satélite em uma zona próxima a um de seus pólos. O objetivo é levantar uma coluna de dejetos que será analisada com os espectrógrafos da cápsula para determinar a possível presença de água nos pólos lunares. Essa coluna será examinada pelo LCROSS, por telescópios em Terra e até pelo observatório espacial Hubble.

No contraste com a luz solar, o teste determinará a presença de gelo nas zonas polares e aumentará o conhecimento sobre a estrutura mineral das crateras mais remotas, onde a luz do Sol nunca chegou.

Estamos ansiosos para fazer com que grande parte do público participe da espetacular chegada do LCROSS à Lua na busca por água comentou Dan Andrews, diretor do projeto no Centro Ames de Pesquisas da Nasa, na Califórnia.

Essas duas missões proporcionarão valiosa a informação sobre a Lua, nosso vizinho mais próximo", como assinalou Doug Cooke, administrador do setor de missões de prospecção da Nasa.

Segundo ele, as imagens que serão transmitidas pelos satélites terão uma resolução tão boa que permitirá distinguir um metro sobre a superfície solar. Seus instrumentos darão informação sobre os usos potenciais que poderia ter a Lua.

Uma das prioridades da missão será encontrar um local de pouso para futuras missões.

Segundo informou a Nasa, os instrumentos do LRO possibilitarão examinar o espectro ultravioleta do satélite.

Também deverão explicar a forma como o ambiente de radiação lunar poderia afetar os seres humanos, medindo o nível de absorção com um material plástico similar à pele humana.

A agência espacial americana analisa o reenvio de astronautas ao único satélite natural da Terra até 2020, dentro do projeto de exploração lançado em 2004 pelo ex-presidente George W. Bush.

O foguete saiu da plataforma às 18h12 de Brasília, 20 minutos após o horário inicialmente previsto, porque inicialmente as condições meteorológicas estavam desfavoráveis.