Grupos de caminhada e corrida: alternativa para cuidar do corpo

Carolina Leal , Jornal do Brasil

RIO - Em caminhos variados e sempre ao ar livre, lá vão eles, pelas praias, calçadões, ruas da cidade e, até mesmo, parando o trânsito. Há quem olhe e pergunte para onde vão esses grupos, que caminham e correm pelo Rio de Janeiro.

Tem sempre um curioso que vem até nós e pergunta o que estamos fazendo comenta, com bom humor, Alceu Nobre, um dos professores do projeto de caminhada Mexa-se, Laranjeiras.

Assim como os transeuntes que passam por eles com olhares intrigados, os grupos de caminhada e corrida passam observando a cidade e trazem uma opção para quem deseja fugir correndo da rotina, praticando um exercício físico coletivo, em ambiente aberto, e que pode demandar pouco tempo, para os mais ocupados.

A gente vai caminhando, conversando e conhecendo o bairro, entrando em ruas que nem imaginava existir, enquanto os professores acompanham e auxiliam quem não quiser arriscar em subidas ou exercícios mais puxados diz Isabel Vidal, que participa do Mexa-se, Laranjeiras.

Em sua maioria, os grupos são voltados para atletas amadores, ainda que em algumas pessoas, o interesse de correr uma maratona seja despertado. Quanto às diferenças de perfil e condicionamento físico, os treinadores alegam que não há problema. O acompanhamento do aluno é individual, buscando atender as necessidades tanto dos iniciantes quanto dos que já praticam o esporte há algum tempo ou participam de maratonas. As atividades normalmente englobam exercícios de alongamento e possuem preços variados, que podem ir desde uma pequena colaboração até uma taxa que fica em torno de R$ 100.

Os exercícios são direcionadas para o objetivo de cada pessoa. Às vezes alguns querem só caminhar, mas como é uma atividade em grupo, começa na caminhada e acaba querendo correr. A gente elabora um programa de acordo com o condicionamento físico e objetivos de cada um explica o professor Gustavo luz, da G-Luz Top Team, que realiza treinos no entorno do Maracanã

Acompanhamento

Ainda que entre os cariocas exista o hábito de praticar essa atividade de maneira informal pelos calçadões, o acompanhamento de um especialista é importante para avaliar o desenvolvimento do condicionamento de cada um. O exercício precisa ser recomendando na medida certa também para evitar lesões, como as no joelho, muito comuns pela atividade provocar um grande impacto do corpo com o solo.

A caminhada e a corrida costumam ser bastante recomendadas por médicos e especialistas por seus benefícios à atividade cardíaca, pressão arterial, controle do mau colesterol, aumento na disposição física, além de possuírem um grande papel na queima de calorias. Entre os benefícios, s mais destacado entre os praticantes é o alívio do estresse

Sinto como se colocasse tudo de ruim para fora. A corrida vai entrando na sua vida e te modificando. Para me tirar do sério agora, tem que ser algo muito forte afirma Sebastião Teixeira, do grupo Runners Club FJG.

Há cinco anos, o empresário Sebastião Teixeira, de 52 anos, não imaginava que uma lesão no joelho, que o levou a procurar uma academia, resultaria na paixão pela corrida e na mudança do seu estilo de vida. Desde que começou a praticar o esporte, perdeu 20 quilos sem nenhum medicamento, mudou seus hábitos alimentares, fez bons amigos no grupo e, quem diria, já correu 30 maratonas.

Eu me apaixonei pela corrida, isso virou um objetivo para mim, é maravilhoso comenta o maratonista. O grupo se originou na própria academia, na Barra da Tijuca, onde moro, que nos dá um suporte para praticar o esporte, e se tornou um encontro semanal para nós. Fiz, inclusive, ótimos amigos, tanto no grupo quanto nas maratonas que participei

E para quem pode ficar assustado ao saber que Sebastião já correu diversos estados do Brasil e do mundo, ele relata a sua experiência

Eu também achava impossível. Antes da minha lesão, causada também pelo excesso de peso, era completamente sedentário lembra o empresário. Fui começando aos poucos e, quando participei de uma primeira maratona aqui no Rio, com um amigo do grupo, foi muito emocionante, nos abraçamos, sentíamos como se fôssemos vencedores. Nunca mais quis parar.