Base de Alcântara lança foguete nesta sexta-feira

Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, vai lançar nesta sexta-feira, se o tempo ajudar, um foguete de médio porte. O foguete Órion tem 5,7 metros de comprimento e pode alcançar uma altura de 110 quilômetros. A previsão é que ele decole entre 13h e 16h. Se não houver condições climáticas favoráveis hoje, a operação será adiada para sábado.

Há dois anos não era feito um lançamento de Alcântara, que fica a cerca de 400 quilômetros de São Luís. O Órion cairá em alto-mar, a aproximadamente 70 quilômetros da costa.

O Órion é movido a combustível sólido e atinge uma velocidade de 4.700 km/h (quatro vezes a velocidade do som). Possui espaço para embarcar experimentos científicos de até 80 quilos.

Segundo o diretor da base de Alcântara, coronel Nilo de Andrade, o principal objetivo da missão, que integra a operação Maracati 1, é testar meios operacionais de controle e rastreamento dos foguetes lançados pela base. E também fazer treinamento de pessoal.

A Operação Maracati I é resultado de uma parceria do Brasil com a Alemanha a fuselagem do foguete é fabricada lá. Já o motor é produzido nos Estados Unidos.

Não é a primeira vez que um foguete do tipo Órion será lançado no Brasil. No fim do ano passado, o Centro de Lançamento Barreira do Inferno (CLBI), no Rio Grande do Norte, fez um lançamento com o mesmo equipamento.

Depois do acidente em 2003, no centro de lançamento de Alcântara, onde morreram 21 pessoas, a preocupação com a segurança está sendo redobrada.

O Brasil tem investido anualmente entre R$ 50 milhões e R$ 80 milhões em pesquisas espaciais.