Pesquisa mostra impacto de imagens em maços de cigarro

Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - As advertências impressas em maços de cigarro estão surtindo efeito, segundo informou nesta quarta-feira o Instituto Nacional do Câncer (Inca). De acordo com a pesquisa, 48,2% dos fumantes afirma que as advertências fazem com que fiquem mais propensos a deixar de fumar. O uso de imagens mostrando os danos causados pelo cigarro nos maços se tornou obrigatório no Brasil há cinco anos.

As imagens e frases impressas fizeram com que 39,1% dos fumantes fumantes desistissem de pegar um cigarro, quando estavam prestes a fumar.

Além disso, 61,6% dos fumantes (e 83,2% dos não-fumantes) disseram que as advertências os fizeram pensar sobre os riscos do tabagismo. A pesquisa está sendo realizada em três capitais - Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre - com um universo de 1.800 pessoas, fumantes e não-fumantes, que serão acompanhadas por no mínimo três anos. Por enquanto, 717 pessoas foram entrevistadas.

Temos conseguido fazer um contraponto em relação ao que a indústria sempre fez, que era mostrar imagens positivas para passar a ideia que o cigarro não fazia mal. Usaremos imagens fortes e agressivas, que tenham impacto na decisão das pessoas de começarem a fumar e de pararem de fumar disse o diretor do Inca, Luiz Antonio Santini.