Nos parques florestais de São Paulo, iniciativa busca nova gestão

Jornal do Brasil

SÃO PAULO - A partir da próxima semana a visitação e o ecoturismo poderão se tornar os principais aliados na conservação dos remanescentes de Mata Atlântica no estado de São Paulo. Em três parques estaduais Intervales, Serra do Mar e Itinguçu especialistas vão analisar a largura e as condições das trilhas, a presença de lixo e outros possíveis impactos que a visitação acarreta.

A iniciativa, uma parceria entre a Fundação Florestal e a organização não-governamental WWF-Brasil, tentará aprimorar a gestão dos parques para depois dividir a experiência com os outros 27 parques paulistas. Atualmente são 27 unidades de conservação abertas ao público que recebem 1,2 milhão de pessoas.

Segundo a WWF, o objetivo do projeto não é aumentar a visitação das áreas, mas oferecer mais atrativos aos visitantes e ajudar para que os parques tenham os meios para garantir seus recursos naturais.

Patrimônio nacional

Com 315 mil hectares, o Parque Estadual Serra do Mar abriga quase metade das 1.523 espécies de animais já descobertos no bioma. Muitas delas estão ameaçadas de extinção, como o muriqui, maior primata das américas, o papagaio-da-cara-roxa, a onça pintada e a jaguatirica. Quanto maior o controle para evitar a degradação dos remanescentes, maior a chance de avistar os animais.