Estatueta sensual pode ser a mais antiga já descoberta

REUTERS

ALEMANHA - Uma estatueta feminina com seios e quadris aumentados data de ao menos 35 mil anos e mostra que os antigos humanos pensavam em sexo, afirmaram pesquisadores na quarta-feira.

A estatueta de 60 milímetros de altura provavelmente é a mais antiga peça do tipo já descoberta e sugere que a arte no Paleolítico era muito mais complexa do que se pensava, escreveu Nicholas Conard, da Universidade de Tubingen, na Alemanha, na revista Nature.

A datação feita com radiocarbono indica que a peça retirada de uma escavação arqueológica no sul da Alemanha, perto do vale do Danúbio, tem ao menos 35 mil anos, afirmam os pesquisadores.

- A descoberta precede as Vênus bem conhecidas da cultura gravetiana em ao menos 5 mil anos e muda radicalmente nossa percepção sobre o contexto e o significado dos primórdios da arte paleolítica - escreveu Conard.

- Antes desta descoberta...a representação feminina era completamente desconhecida.

Os seios aumentados, a barriga saliente e os quadris largos da estatueta também deixam claro que o simbolismo sexual estava presente há dezenas de milhares de anos, escreveu Paul Mellars, da Universidade de Cambridge.

(Reportagem de Michael Kahn)