Coçar os olhos constantemente pode ser perigoso

JB Online

RIO DE JANEIRO - O perigo de esfregar os olhos constantemente, ao longo do tempo, pode ser um sinal de alerta para o surgimento da ceratocone. Uma doença não-inflamatória, degenerativa, que provoca mudanças estruturais na córnea tornando-a mais fina e com um formato mais cônico que a sua curva gradual normal. Ceratocone é a distrofia mais comum da córnea, afetando uma pessoa a cada mil.

Segundo o oftalmologista, Ricardo Reis, várias fontes apresentam que a ceratocone surge de um número de diferentes fatores: genético, ambiental ou celular; sendo qualquer um deles capazes de formar um gatilho que irá dar início à doença. Estudos sugerem que o ato de coçar os olhos vigorosamente pode contribuir para a progressão da ceratocone e os pacientes devem ser desencorajados desta prática.

- Existe uma associação da doença ao ato de coçar os olhos. É comum o paciente ter rinite alérgica associado ao ceratocone, o que faz com que cocem os olhos freqüentemente. E isso pode causar o afinamento da córnea devido à remoção mecânica de células do epitélio corneano - explica.

A ceratocone tem sido associada a doenças atópicas, que incluem: asma, alergias e eczema, e não é raro que muitas ou algumas dessas doenças afetem uma pessoa. Além disso, a doença é também diagnosticada em pessoas com Síndrome de Down, apesar das razões para esta ligação ainda não tenham sido determinadas.

Os pacientes com ceratocone relatam a percepção de múltiplas imagens fantasmas, diplopia (visão dupla) ou poliopia (visão de vários objetos) naquele olho afetado, e queixam-se de visão borrada e distorcida tanto para visão de longe quanto para perto. Alguns referem halos em torno das luzes e fotofobia (sensibilidade anormal à luz).

Em sua fase inicial apresenta-se como um astigmatismo irregular levando o paciente a trocar o grau de astigmatismo com muita freqüência, podendo haver aumento ou redução. O diagnóstico definitivo é feito com base nas características clínicas e com exames objetivos como a topografia corneana, exame que mostra em imagem o formato preciso da córnea. Um fator que tem contribuído cada vez mais para o diagnóstico precoce da ceratocone é a popularização da cirurgia refrativa, que muitos pacientes procuram para tratar miopia e astigmatismo.

Na grande maioria dos casos o problema surge na adolescência, podendo evoluir, em geral, até os 40 anos. Cerca de 95% dos casos, a estabilização da ceratocone ocorre entre os 30 e 40 anos. A sua evolução é geralmente progressiva, mas não existe um padrão que possa ser adotado. Recomenda-se que sejam feitas visitas periódicas ao especialista para que se possa fazer um acompanhamento detalhado.

Tratamento

Os tratamentos dependerão da severidade da condição. Inicialmente, os óculos corrigem satisfatoriamente a miopia e astigmatismo. Entretanto, à medida que a doença progride a visão não é mais adequadamente corrigida e requer o uso de lentes de contato gelatinosas ou rígidas especiais para ceratocone para fornecer uma visão satisfatória. Tardiamente, quando as lentes de contato não fornecem boa visão ou há intolerância ao uso das lentes de contato, poderá ser indicado o implante de segmentos de anéis corneanos, ceratoplastia,e até o transplante de córnea.

Nos últimos anos houve um aumento significativo dos estudos relacionados ao cross-link do colágeno como uma opção inovadora no tratamento de ceratocone e ectasias corneanas pós-cirurgia refrativa, justamente por agir no mecanismo fisiopatológico da doença, endurecendo a córnea. A ceratocone é, atualmente, uma das principais causas de transplantes ópticos no Brasil e no mundo. Acredita-se que com o cross-link do colágeno corneano haverá diminuição da necessidade de transplantes de córnea.

O implante de anéis corneanos é realizado com anestesia local (colírios), em um procedimento rápido, sem necessidade de internação e com a grande vantagem de ser um procedimento reversível, isto é, se não der resultado, o anel é retirado sem prejuízo para o paciente. O Anel de Ferrara reduz o astigmatismo e estabiliza a ceratocone, possibilitando melhor qualidade visual e evitando o transplante de córnea.