Ventilação e sol podem ajudar na luta contra a tuberculose, diz OMS

Laura MacInnis, REUTERS

GENEBRA - Boa ventilação e luz solar podem ajudar a reduzir os riscos de tuberculose em hospitais e prisões, dois redutos da doença pulmonar contagiosa, disse a Organização Mundial de Saúde (OMS).

No Relatório Global de Controle da Tuberculose, divulgado nesta terça-feira no Rio de Janeiro, a agência da Organização das Nações Unidas (ONU) também dobrou sua estimativa sobre quantas pessoas contaminadas com o HIV contraem a tuberculose e morrem vítimas da doença, além de fazer um alerta para as cepas fatais da doença que continuam a se disseminar em todo o mundo.

Mario Raviglione, diretor do departamento Stop TB (combate à tuberculose) da OMS, disse que, pelo fato de a bactéria causadora da tuberculose se desenvolver no ar estagnado, "simplesmente abrir as portas" pode reduzir o risco de pacientes, detentos e outras pessoas serem infectados com a doença que matou cerca de 1,8 milhão de pessoas em 2007.

O número global de mortes causadas pela tuberculose inclui 1,3 milhão de pessoas não infectadas pelo HIV e 456 mil soropositivos, mortes que, nas estatísticas de saúde, são classificadas como sendo decorrentes do HIV.

- Só se morre uma vez - explicou Kevin De Cock, diretor de HIV/Aids da OMS.

Ele estimou que os pacientes com HIV e imunidade baixa têm 20 vezes mais risco de contrair tuberculose que o restante da população.

Dados mais precisos

A revisão feita pela OMS do número de pessoas que têm HIV e também tuberculose reflete "análises, dados e metodologias melhores", mas não um aumento real das infecções duplas entre 2006 e 2007, disse De Cock em briefing à imprensa em Genebra.

O especialista belga em doenças infecciosas afirmou que os pacientes com HIV devem ser examinados para detectar a existência de tuberculose e receber tratamento para reduzir os riscos de desenvolver a doença, que pode ser contraída quando se inspiram gotículas no ar de uma tossida ou um espirro de uma pessoa infectada.