Saúde: 58% dos brasileiros não utilizam escovas de dente corretamente

Agência Brasil

BRASÍLIA - Um levantamento realizado pelo Ministério da Saúde indica que, em 2008, 58% da população brasileira não tinha acesso adequado a escovas de dente. O número inclui pessoas que consumiram o produto de forma esporádica ou inadequada quando o uso da mesma escova é feito por um período muito prolongado e também brasileiros sem acesso algum.

De acordo com o coordenador nacional do programa Brasil Sorridente, Gilberto Pucca, a não-utilização de escovas de dente no país é mais comum do que se imagina. Em entrevista à Agência Brasil, ele alertou que praticamente todas as capitais brasileiras apresentam índices de acesso zero ao produto.

- A gente tem que acabar com essa idéia de que as pessoas não tem acesso aos bens mínimos só nas regiões distantes. O problema está na nossa esquina, nas periferias - afirmou. Pucca destacou que o quesito dificuldade financeira lidera o ranking de razões pelas quais mais da metade dos brasileiros não utiliza a escova de dentes de maneira adequada, seguido por desconhecimento.

Em 2003, o índice de acesso zero chegava a quase 65% mas o crescente número de pessoas que passaram a integrar o mercado de trabalho, segundo ele, levou à queda dos números.

Atualmente, o Ministério da Saúde possui 18 mil equipes de saúde bucal dentro do programa Saúde da Família, além de mais de 650 centros especialiazdos dentro do Sistema Único de Saúde (SUS). A meta do governo é, até o final de 2009, incorporar kits compostos por escova e pasta de dente em 100% das equipes de saúde bucal 1 mil kits por equipe.

Há ainda a estratégia de distribuição de kits para alunos do ensino fundamental e médio que pertencem a escolas públicas localizadas em áreas de baixo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) um total de quase 1.200 municípios brasileiros. A expectativa de Pucca é que, em um prazo máximo de dez anos, o país apresente um quadro de saúde bucal bastante diferenciado do atual.