Estudante inglês testa nova mão biônica

Portal Terra

LONDRES - Um estudante que perdeu a mão esquerda em um acidente de carro conta agora com uma das mais avançadas tecnologias para ter novamente movimento nos membros superiores. Evan Reynolds teve a mão ferida substituída por uma artificial e inteiramente funcional. As informações são do jornal britânico Telegraph.

O estudante de Biologia Desportiva da Universidade do Oeste da Inglaterra (UWE), em Bristol, se tornou o segundo britânico a receber o membro. O jovem de 19 anos precisou de apenas poucos minutos para se adaptar ao equipamento, que é controlado por sinais eletrônicos emitidos pelo cérebro, movimentando os músculos da parte remanescente do membro, ligados ao protótipo.

A inovação tem cinco dedos que operam como uma mão humana, abrindo e fechando para alcançar os objetos, acionado pelo sistema i-Limb, tecnologia que foi desenvolvida por uma empresa escocesa de produtos biônicos. O custo total do membro artificial, incluindo a instalação, é de cerca de 30 mil libras.

Reynolds soube pela televisão que a empresa da Escócia estava produzindo o equipamento e contatou o fabricante para se submeter a testes. A empresa ainda trabalhava no protótipo da mão artificial quando o estudante recebeu a instalação do equipamento, que imediatamente mostrou ser um sucesso.

- A coisa mais surpreendente foi a rapidez com que me adaptei a ele. Ele me permite fazer coisas cotidianas como descascar batatas, lançar bolas em atividades esportivas e segurar até uma garrafa de água. A mão artificial é tão sensível que posso pegar uma raquete ou até mesmo um copo de papel sem esmagá-lo. Eu faço tudo isso apenas me concentrando no que quero realizar e automaticamente os dedos começam a se mover - conta o jovem, que também é jogador de rugby.

Em 2008, a revista americana Time nomeou o i-LIMB como uma das 50 maiores invenções do ano. O equipamento também está em fase de aplicação em soldados americanos feridos em combates militares.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais