Dengue: Temporão pede empenho de novos prefeitos

JB Online

RIO - O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, em reunião que contou com 80% dos prefeitos eleitos do Rio de Janeiro, afirmou que é essencial que as equipes transição já estejam mobilizadas contra a dengue. Segundo ele, o controle da doença deve ser uma das primeiras ações da nova gestão. O encontro ocorreu nesta segunda-feira (10), em Petrópolis, em evento realizado pela Associação Estadual de Municípios (Aemerj) e pelo Sistema Fecomercio-RJ, com os novos administrares municipais.

- Devemos dar prioridade total à dengue. As novas equipes devem estimular medidas que mobilizem seus municípios. É necessário uma chamada à sociedade, envolvendo as escolas, o empresariado e os meios de comunicação. O desafio, neste ano, é transformar as informações em ações, afirmou Temporão.

Por meio da parceria com os novos prefeitos, o Ministério da Saúde pretende evitar a alta incidência da doença verificada no Estado no último verão. O objetivo é que as ações de prevenção à dengue e de atendimento à população façam parte da pauta das equipes de transição e do trabalho do fim de governo dos prefeitos que estão encerrando sua gestão.

- A informação, a educação e a mobilização, além do preparo técnico, são as armas que temos no combate a dengue, afirmou o ministro.

Temporão também lembrou que as Forças Armadas estão definindo os locais de treinamento de recrutas que reforçarão a estratégia contra a doença. O preparo começa até o início de dezembro. Além disso, ainda nesta semana, uma reunião com o Ministério das Cidades definirá ações para recolhimento de lixo nas cidades e saneamento básico (oferta de água tratada e esgotamento).

De janeiro a agosto de 2007, foram notificados no Rio de Janeiro 57.640 casos de dengue. Em 2008, considerando o mesmo período, esse número saltou para 240.411, o que representa um aumento de 317%.

INVESTIMENTOS - Para reverter a situação, o governo federal aplicará neste ano R$ 47,6 milhões diretamente no combate à dengue no Rio de Janeiro, o que representa um aumento de 64,13% em relação ao que foi investido em 2007.

Neste ano, o Ministério da Saúde anunciou em R$ 202 milhões o total de recursos financeiros para o combate à doença no país. Ao todo, Ministério da Saúde investirá R$ 1,08 bilhão, um aumento de 23% em relação a 2007. É o maior volume de recursos já investidos pelo Ministério da Saúde com essa finalidade.

Para o Rio, além dos recursos, para reforço à estrutura já existente, foram aquiridos 49 veículos e 25 nebulizadores costais motorizados e 200 mil capas para caixas d'água. Também foram organizados centros de hidratação em municípios de pequeno e médio porte e definidos protocolos para atendimento de idosos, cardíacos e portadores de outras doenças que aumentam o risco para dengue grave.

Sob o conceito de mobilização da sociedade em ações de mutirão e educação, o Ministério da Saúde distribuiu no Estado 700 mil folhetos informativos às entidades e associações de moradores de bairros e favelas. Além disso, o Ministério da Saúde é parceiro na formação de 2,5 mil bombeiros que trabalharão no combate à dengue.