Pesquisadores encontram evidências antigas de tuberculose

JB Online

ALIT YAM - De acordo com a BBC Brasil, pesquisadores acreditam ter descoberto as evidências de tuberculose mais antigas já encontradas em seres humanos.

A notícia é baseada em estudos de especialistas britânicos e israelenses que identificaram a bactéria da doença nos esqueletos de uma mulher e seu bebê mortos há 9 mil anos.

Os fósseis foram escavados de Alit-Yam, um antigo vilarejo neolítico localizado na costa de Israel, submerso há milhares de anos. Pesquisadores falaram sobre a boa preservação da sepultura.

Os especialistas afirmaram que, pela extensão da doença no bebê, tudo indica que ele teria contraído tuberculose da mãe logo após seu nascimento. Os dois teriam vivido por volta da época em que o homem deixou de caçar para desenvolver as primeiras técnicas da agricultura.

Os cientistas ainda foram capazes de identificar que o DNA da bactéria da tuberculose havia sido parcialmente danificado, indicando que seria de um tipo semelhante ao existente nos dias de hoje.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais