Instituições estudam causa de abalos sísmicos no Nordeste

Agência Brasil

BRASÍLIA - A Universidade de Brasília (UnB) e mais nove instituições estão mapeando a espessura da crosta terrestre do Nordeste do país, com o objetivo de identificar a causa dos tremores de terra na região.

De acordo com o professor George França, do Instituto de Geociências da UnB, a maior importância do projeto é fazer a 'integração direta de todos os dados para que possa sair um resultado mais correlacionado, num parâmetro mais seguro, para se afirmar qualquer coisa, principalmente sobre tremores e terremotos'.

As pesquisas para identificar o motivo dos abalos sísmicos serão concluídas até o fim deste ano e se baseiam na análise da propagação de ondas pela crosta terrestre, em uma linha de 800 quilômetros entre as cidades de Camocim (CE) e Serinhaém (PE), onde serão instalados 400 sensores sísmicos. Posteriormente, serão provocadas explosões para gerar ondas elásticas similares às de pequenos abalos sísmicos para identificar a estrutura interna da terra. Entre as instituições que participam do projeto estão a Universidade Federal do Ceará (UFC), a Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Universidade do Rio Grande do Norte (UFRN), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a Universidade Estadual Paulista (Unesp- Rio Claro) e o Observatório Nacional, entre outras.