Pernambuco usa software baseado no TerraView para localizar doadores

JB Online

PERNAMBUCO - A Fundação Hemope, que presta serviços de hematologia em Pernambuco, acaba de implantar um sistema de geoprocessamento baseado no TerraView, aplicativo desenvolvido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

O novo Sistema de Informação Geográfica (SIG) permitiu a construção de mapas temáticos para verificar os deslocamentos dos pacientes em relação aos hemocentros, além do acompanhamento da demanda por plasma e hemácias em cada unidade da hemorrede pernambucana.

Esse novo SIG foi desenvolvido pela Fiocruz em parceria com a equipe técnico-administrativa do Hemope.

Utilizando o software livre TerraView, do INPE, o projeto reuniu bases de dados cartográficas (mapas de Pernambuco) e dados cadastrais do Hemope relativas a 2006, associando as informações geradas por cada unidade da rede de hemocentros à posição geográfica de seus lugares de origem.

A cada ponto (que corresponde a uma unidade da rede) foram associadas variáveis como a quantidade de bolsas de sangue coletadas, a produção dos principais hemocomponentes, o número de amostras para realização de testes de triagem sangüínea (sorologia), entre outras informações.

A partir dessa convergência de informações, foi possível identificar a origem e o fluxo dos pacientes por ponto da rede, ou seja, de que lugares eles vinham para doar sangue.

Segundo Constantino Silveira, pesquisador que participou do desenvolvimento do novo SIG, o banco de dados gerado pelo sistema está em fase inicial de atualização dos dados e será mantido por meio da alimentação do Sistema de Informações do Banco de Sangue existente nos serviços da hemorrede de Pernambuco.

Confira aqui matéria completa sobre o SIG da Fundação Hemope divulgada pela Agência Fiocruz de Notícias.

Espaço e Sociedade

O INPE desenvolveu o aplicativo geográfico TerraView para facilitar a visualização e análise de informações georreferenciadas. O objetivo é possibilitar a utilização dos dados espaciais em diversos setores, de usuários do produto final aos que trabalham com desenvolvimento de soluções customizadas.

O TerraView manipula dados vetoriais (pontos, linhas e polígonos) e matriciais (grades e imagens) que são armazenados em um sistema de gerenciamento de banco de dados.

Com o Programa Espaço e Sociedade, que utiliza ferramentas como o TerraView, o INPE está colocando as tecnologias de informação espaciais em benefício de diversos setores, como segurança pública, gestão urbana, indicadores sociais, saúde pública e problemas ambientais.

O TerraView é gratuito, atendendo à política do INPE de ampliar a utilização dos dados espaciais na sociedade.

Segundo a Fiocruz, parceira do INPE no Programa Espaço e Sociedade, os sistemas de análise espacial vêm sendo cada vez mais utilizados pela saúde pública.

Por associar dados ambientais e sociais aos dados sobre saúde, permitem caracterizar e quantificar possíveis determinantes de agravos e de outros eventos relacionados à saúde da população.

As possibilidades de utilização dessas abordagens ampliam a capacidade de análise do processo saúde-doença e têm potencial para utilização na análise e tomada de decisão sobre as prioridades de investimento e sobre as práticas de vigilância em saúde.