Nova tecnologia revoluciona movimentos dos robôs

Portal Terra

CORÉIA - Cientistas sul-coreanos desenvolveram uma tecnologia que pode revolucionar o modo como os robôs se locomovem, principalmente no campo militar.

De acordo com o site da NewScientist, uma das principais falhas no design de robôs está em um dos obstáculos mais triviais: acessar lugares mais altos, como escadas.

Esta imperfeição por vezes é transposta com caminhos alternativos ou com lentos mecanismos de escalada, o que nem sempre é uma alternativa viável.

Robôs que saltam não são novidade, mas também têm seus problemas, como motores pesados de impulsão, que podem levar a uma queda desajeitada e a danos a equipamentos mais sensíveis, como câmeras.

Uma equipe de cientistas da Universidade Nacional de Tecnologia de Seoul descobriu que a navegação dos robôs poderia ser aperfeiçoada por equipamentos tão simples quanto duas garrafas recicladas de água mineral, cheias de ar comprimido, e um cilindro de alumínio que utiliza a pressão para impulsionar o robô.

O cálculo de quanto ar e pressão serão necessários é feito com base na velocidade de giro das rodas de 25 centímetros de diâmetro do robô, e a distância para o obstáculo é considerada através do uso de câmeras e sensores de ultrassom. Para amenizar a queda, o robô usa um mecanismo de compensação, reduzindo eventuais danos e permitindo uma recuperação rápida do salto.

A incapacidade dos robôs em subir escadas é tão patente que mesmo os filmes e seriados de ficção científica fazem menção a isso. No seriado britânico Dr. Who, por exemplo, os Dalecks - criaturas que além de robotizadas são extraterrestres - são capazes de feitos impressionantes, mas não conseguem subir escadas.

A equipe agora trabalha em um robô do tamanho de uma latinha de refrigerante e compressores de armas de brinquedo, algo que gerou interesse em uma fabricante de brinquedos não revelada. Um vídeo do robozinho com a nova tecnologia pode ser visto pelo atalho tinyurl.com/5z3o5j.