Novo espaço para divulgação da ciência é inaugurado em João Pessoa

JB Online

JOÃO PESSOA - A capital da Paraíba, João Pessoa, ganhou na última quinta-feira um espaço para a divulgação da ciência no Estado, a Estação Cabo Branco (Ciência, Cultura e Artes).

Localizada no entorno do ponto mais oriental da América, a obra recebe a assinatura do renomado arquiteto Oscar Niemayer e custou R$ 33,5 milhões, financiados pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

- É uma iniciativa que projeta a Paraíba em âmbito e internacional - destacou o ministro Sergio Rezende, que participou da inauguração.

O novo conjunto arquitetônico tem a finalidade de apoiar a difusão cultural e a realização de pesquisas científicas voltadas à área continental, incluindo as falésias, o Altiplano e a faixa marinha próxima ao Cabo Branco, na zona sul da cidade.

A expectativa é de que sejam recebidos cerca de 500 visitantes por dia na Estação Cabo Branco, que deve se transformar em um dos cartões postais da cidade, reforçando seu elenco de atrativos turísticos.

O prédio principal do complexo é uma torre espelhada em formato octogonal, com 43 metros de distância entre os lados opostos, apoiada sobre uma parede cilíndrica com 15 metros de diâmetro. Essa edificação foi erguida sobre um espelho d'água.

- O Ministério da Ciência e Tecnologia tinha historicamente uma ação muito voltada para as universidades e os centros de pesquisa. Isso mudou nos últimos anos e as atividades do MCT estão se aproximando da maioria da população - disse Rezende.

O ministro destacou que, para estender suas ações, o orçamento do MCT aumentou em três vezes nos últimos cinco anos.

-A informações são do Ministério de Ciência e Tecnologia

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais