Pesquisa de vacinas recombinantes ganha laboratório mais avançado

JB Online

RIO - O Laboratório de Biologia Molecular de Flavivírus do Instituto Oswaldo Cruz (IOC) da Fiocruz recebeu parecer técnico da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) que estende seu certificado de qualidade em biossegurança (CQB) para desenvolvimento de projetos de pesquisa com organismos geneticamente modificados com classe de risco 2.

Dessa forma, o laboratório, que desenvolve pesquisas de vacinas para doenças como dengue e malária baseadas em vírus recombinantes, está habilitado a fazer não só a manipulação genética, mas também a obtenção do vírus em si.

O projeto de pesquisa executado no laboratório visa a criação de vírus recombinantes, utilizando como base a cepa vacinal do vírus da febre amarela (17D) e a bactéria Escherichia coli, geneticamente modificada, como receptora de genes de diversos organismos, como vírus da dengue, da Aids e dos protozoários causadores da doença de Chagas e da malária.

O objetivo é desenvolver vacinas combinadas da febre amarela com essas importantes doenças.