Telescópio Hubble descobre molécula orgânica em exoplaneta

Agência EFE

WASHINGTON - Cientistas do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) descobriram, através do telescópio espacial Hubble, a primeira molécula orgânica na atmosfera de um exoplaneta do tamanho de Júpiter, informou nesta quarta-feira o organismo da Nasa, a agência espacial americana.

A descoberta, que também confirma a presença de água na atmosfera do planeta, 'é um importante passo' nos esforços para identificar sinais de vida em um planeta fora do sistema solar, indicou o JPL em comunicado.

O laboratório acrescentou que a molécula é do gás metano, 'que, sob as circunstâncias adequadas, pode desempenhar um papel-chave na química pré-biótica', ou seja, nas reações consideradas necessárias para formar vida como existe na Terra, apontou.

- Este é um avanço crucial para identificar moléculas pré-bióticas em planetas onde poderia haver vida - afirmou Mark Swain, cientista do JPL.

Além disso, indicou o comunicado, a descoberta demonstra que o Hubble e outras missões da Nasa, como a do telescópio espacial Webb, podem detectar moléculas orgânicas em planetas que giram em torno de outras estrelas mediante a espectroscopia.

O processo é caracterizado por dividir a luz em seus componentes e revelar as características que distinguem os diferentes elementos químicos.

A presença de água nesse planeta, identificado como HD 189733 b, tinha sido detectada pelo telescópio Spitzer no ano passado.

A descoberta foi feita através de observações realizadas em maio do ano passado pela câmera infravermelha e pelo espectrômetro multi-objetivo do Hubble.

- Com esta observação, não há dúvida de que há água' na atmosfera do planeta, que está a 63 anos luz da Terra, na constelação Vulpecula.

O HD 189733 b é um enorme 'Júpiter incandescente', com temperatura média de 930 graus Celsius e tão próximo à sua estrela que só demora dois dias para completar uma órbita de translação.

Embora seja muito quente para abrigar vida parecida com a que há na Terra, 'a observação é prova de que a espectroscopia pode ser usada em um planeta mais frio, potencialmente habitável e do tamanho da Terra', disse Swain.

As observações do HD 189733 b foram realizadas em maio do ano passado, quando o exoplaneta cruzava em frente à sua estrela mãe.

Quando a luz da estrela passa através da atmosfera do planeta, esta revela as características especiais dos componentes dessa atmosfera.

Swain disse que as observações também poderiam ajudar a determinar outras condições dessa atmosfera, como pressão, temperatura, ventos e nuvens, 'assim como a química dos planetas onde poderia existir vida'.

O telescópio espacial Hubble é um projeto de cooperação internacional entre a Nasa e a Agência Espacial Européia.