Arqueólogos descobrem na Índia vestígios de cidade com 2.500 anos

Agência EFE

NOVA DÉLHI - Uma equipe de arqueólogos descobriu os restos de uma antiga cidade de 2.500 anos de antiguidade no leste da Índia, revelou nesta sexta-feira um dos integrantes do grupo. Os vestígios da cidade, que incluem 18 pilares, apareceram na área de Sishupalgarh, na região de Orissa, após uma investigação conjunta de membros da Universidade da Califórnia e do Colégio Deccan (Índia).

- Neste local havia uma enorme cidade há 2.500 anos. As últimas descobertas compreendem as mais visíveis estruturas arquitetônicas retas encontradas na Índia até agora - disse a arqueóloga americana Monica L. Smith, em declarações recolhidas pela agência indiana 'PTI'.

Os restos descobertos sugerem que a cidade tinha entre 20 mil e 25 mil habitantes e fornecem dados sobre a vida urbana da época. Segundo os arqueólogos, os pilares fazem parte de uma gigantesca estrutura usada provavelmente para cerimônias públicas ou encontros especiais. O arqueólogo indiano R.K. Mohanty afirma que as estruturas eram de construção sólida, e acrescentou que a equipe encontrou também artigos caseiros, cerâmicas, ourivesarias e ornamentos de terracota, assim como estruturas andarilhas e velhas caixas d'água.

Mohanty disse que não sabe como ocorreu a destruição da cidade, mas se mostrou confiante em que os trabalhos de escavação trarão novas evidências sobre aspectos como o comércio da época. O complexo fortificado de Sishupalgarh foi descoberto em 1948, mas até agora não se conhecia a existência de uma cidade na zona.