Nasa abastece Atlantis e lançamento pode ser adiado

Agência EFE

WASHINGTON - Os responsáveis pelo lançamento nesta quinta-feira da nave Atlantis encheram os tanques de combustível e inspecionaram a plataforma de decolagem do aparelho no Centro Espacial Kennedy (Flórida), a poucas horas de sua partida e com 70% de possibilidade de que esta seja adiada pelo mau tempo.

Os problemas técnicos que retardaram a partida da Atlantis em dezembro já foram resolvidos e, se as condições meteorológicas não atrapalharem, a nave deve decolar às 14h45 (17h45 de Brasília). As possibilidades de que a nave não seja lançada em decorrência do mau tempo são de 70%, devido à chegada de uma frente fria sobre a zona e à possibilidade de tempestades elétricas, nuvens e chuva.

Os técnicos da Nasa, a agência espacial americana, encheram, durante três horas, o tanque de combustível com 1.892,6 mil l de hidrogênio e oxigênio muito frio, que abastecem os três motores principais da aeronave durante sua ascensão de oito minutos e meio. A missão STS-122 das naves espaciais foi adiada em várias ocasiões em dezembro do ano passado após ser encontrada uma falha em um dos sensores de temperatura no tanque externo da nave.

Após o problema ser resolvido, os testes com sensores realizados hoje foram positivos. O diretor de lançamento, Doug Lyons, afirmou que a nave está pronta para partir, após os testes desta quinta. O astronauta americano Steve Frick, comandará uma tripulação de seis pessoas: o piloto Alan Poindexter e os especialistas Leland Melvin, Rex Walheim, Stanley Love e os membros da Agência Espacial Européia (ESA) Hans Schlegel e Leopold Eyharts. Este é a primeira viagem espacial de Poindexter, Love e Melvin.

O principal objetivo da missão é instalar e ativar o módulo científico Columbus, a principal contribuição da ESA à estrutura da Estação Espacial Internacional (ISS). O engenheiro Daniel Tani, que chegou à ISS a bordo da Discovery em outubro, voltará à Terra na Atlantis, enquanto Eyharts ficará na Estação.