Cientistas argentinos decifram genoma de bactéria da Antártica

Agência AFP

BUENOS AIRES - Um grupo de cientistas argentinos decifrou o mapa genético de uma bactéria capaz de viver nas baixas temperaturas da Antártica e que terá "importantes aplicações industriais", revelou nesta quarta-feira uma fonte da investigação.

O primeiro genoma realizado na Argentina é resultado de uma pesquisa conjunta entre o laboratório privado de Biotecnologia Bio Sidus e o Estado argentino, iniciada em 2001 sob o nome de "Projeto Genoma Branco".

A descoberta foi apresentada à presidente Cristina Fernández, na Casa de Governo. - Trata-se do primeiro microorganismo, cujo genoma foi seqüenciado em sua totalidade dentro de um projeto nacional na íntegra - ressaltou o ministro das Relações Exteriores, Jorge Taiana, na apresentação.