UE quer usar dados de embalagens contra obesidade

Agência AFP

BRUXELAS - A Comissão Européia propôs nesta quarta-feira uma série de iniciativas para lutar contra a obesidade, entre elas a obrigatoriedade de indicar as informações nutricionais nas embalagens dos alimentos e bebidas consumidos pelos europeus.

- As embalagens dos produtos alimentícios podem ter uma influência enorme sobre as decisões dos consumidores na hora de comprar. Embalagens confusas, sobrecarregadas ou enganosas podem ser mais um obstáculo do que uma ajuda - explicou o comissário europeu de Saúde, Markos Kyprianou.

- Esta iniciativa tem por objetivo garantir que as embalagens dos alimentos contenham as informações fundamentais de maneira clara e legível, para que os cidadãos europeus possam tomar decisões equilibradas em matéria de nutrição - acrescentou.

Bruxelas quer que na parte frontal das embalagens seja explicitado o valor energético de cada produto, assim como "sua quantidade de gorduras, gorduras saturadas, carboidratos com referência específica ao sal e aos açúcares" e à quantidade diária recomendada.

Segundo a Comissão, "uma informação clara, exata e pertinente nas embalagens dos produtos alimentícios pode servir para que os consumidores identifiquem exatamente o que compram e o que comem".

Para isso, é exigido que a embalagem seja legível (com um tamanho de letra de 3 mm pelo menos), clara e exata e que a apresentação da informação voluntária não desvirtue a apresentação dos elementos obrigatórios.

Outro ponto abordado pela proposta está relacionado à presença de alérgenos (substâncias que podem levar a uma reação em pessoas suscetíveis) nos produtos alimentícios ou bebidas.

Dados os graves riscos que os alérgenos podem representar para a saúde, a Comissão Européia quer que "todos os alimentos que contenham substâncias alérgenas (como leite, mostarda ou pescado)" possuam indicações a este respeito.