Via Láctea poderia abrigar buracos negros solitários

Agência AFP

WASHINGTON - Centenas de buracos negros solitários perambulam pela Via Láctea à espera de estrelas e planetas que cruzem seu caminho e que possam ser envolvidas, afirmaram nesta quarta-feira astrônomos americanos.

Os cientistas acreditam que estes buracos negros "de massa intermediária" são invisíveis - salvo em raras circunstâncias - e foram produzidos por fusões de buracos negros de grupos globulares (enxames de estrelas que se mantiveram unidas por sua gravidade mútua).

Estes buracos negros dificilmente representariam uma ameaça à Terra, mas poderiam envolver nuvens, estrelas, planetas que atravessassem seu caminho, indicaram os pesquisadores.

- É extremamente improvável que estes buracos negros solitários causem algum dano na vida do universo - disse Holley-Bockelmann, professora assistente de física e astronomia da Universidade Vanderbilt em Nashville, Tennessee, nos Estados Unidos.

- Sua zona de perigo, o Raio de Schwarzschild, (o raio gravitacional) é realmente minúsculo, com algumas poucas centenas de quilômetros. Há coisas muito mais perigosas na nossa vizinhança - explicou.

A evidência de buracos negros "de massa intermediária" e não buracos negros supermassivos é ainda teórica e, por isso, controversa. Só duas observaciones de corpos deste tipo foram realizadas até agora.