Defesa dos animais começa pelo cardápio

Bruno Pontes, Agência JB

RIO - Ano após ano é crescente o interesse de grande parte da população em aderir ao vegetarianismo. Famosos como o eterno Beatle Paul McCartney, contribuíram para a popularização desta nova filosofia de vida, e até hoje quem optou por essa mudança em seu cardápio diário não se arrepende. Além disso, tentam mostrar ao mundo os benefícios desta mudança, não só contribuindo com a preservação dos animais, como cuidando da própria saúde, uma vez que os males provocados pelo consumo de carne vermelha, por exemplo, já são conhecidos e alertados inclusive por médicos.

Para explicar um pouco mais sobre esta filosofia de vida, o JB Online conversou com o ativista e webdesigner Fabio chaves, que através de seu site, montou um projeto que divulga campanhas pró-vegetarianismo, além de comercializar camisetas com mensagens positivas que buscam uma melhor conscientização da humanidade.

JB ONLINE: quando você começou a defender o vegetarianismo?

Fabio Chaves: No início de 2007. Basicamente pela internet e principalmente pelo Orkut. Tudo o que é feito com os animais só para levar o desejado bife à mesa das famílias é sempre ocultado pelas indústrias de carne, frigoríficos, etc, e muitos acabam optando por este tipo de alimento justamente por não saberem de onde vem e como são feitos. Em outros lugares do mundo, muitos ativistas fazem sua parte e buscam informar as pessoas sobre os segredos que essa carnificina esconde. Aqui já se tem um trabalho interessante também, e eu procuro contribuir com isso.

JB ONLINE: como o vegetarianismo é visto pela sociedade hoje?

Fabio Chaves: Com olhos muito curiosos. Antes o vegetarianismo era quase marginalizado, dramaticamente falando. Felizmente hoje em dia a sociedade em geral consegue aceitar que uma pessoa pode viver normalmente - ou até melhor - sem ingerir sangue nem compactuar com a barbárie que acontece nos matadouros do mundo todo. Por dia morrem milhões - eu disse milhões! - de animais inocentes por conta de um ato egocêntrico e absolutamente desnecessário: comer carne.

Cada vez mais pessoas abrem os olhos e procuram informações de como se livrar deste costume bizarro, a internet é o ambiente perfeito para divulgar essa que é muito mais do que uma dieta, é uma causa. E é isso que eu faço: exponho o vegetarianismo para as pessoas, através da internet.

JB ONLINE: Fale um pouco do seu site, "vista-se".

Fabio Chaves: Eu gosto de chamar o Vista-se de projeto, não apenas de site nem tampouco de loja.

Este projeto é apenas um reflexo direto do que eu quero mostrar para as pessoas, tento reunir o maior número de informações sobre vegetarianismo quanto possível, num só lugar. Eu acredito que com mais informações as pessoas vão fazer a opção que julgo a mais ética: deixar de comer carne e partir para uma vida mais saudável e limpa.

A relação entre o Vista-se e o vegetarianismo é total. Eu sugiro através deste site-projeto que as pessoas Vistam-se de ética, amor, saúde, respeito... O nome Vista-se vem disso, de uma nova roupa, aquela sensação de estar cheirando a limpo, a novo.

O projeto ainda nem completou 1 ano e a recepção foi simplesmente encorajadora! Muitas -muitas mesmo! - pessoas me procuram diariamente (assim como o JB ONLINE) para saber mais sobre o vegetarianismo, para saber o por que das imagens e cartazes que eu faço e distribuo gratuitamente pela internet. Pessoas não vegetarianas ficam muito curiosas para saber do que se trata o projeto, assim conhecem o vegetarianismo e tiram muitas dúvidas. Mesmo as que não deixam a carne para sempre param para pensar melhor sobre o que comem. A recepção pode ser medida também no projeto de divulgação do "V", marca mundial que significa vegetarianismo. Em menos de 3 meses mais de 20mil fotos já foram enviadas para o site e não é difícil achar alguém usando uma folhinha verde em sua foto no Orkut, isso é resultado.

Para você que está lendo isso e não pensa em parar de comer carne, vão dois conselhos:

1. Leia todos os rótulos e tente saber melhor o que você come, você vai se surpreender.

2. Eu odeio alface e sou vegetariano, ou seja, eu como muito melhor e com menos dinheiro sendo vegetariano, me pergunte como!