Cruz Vermelha aumentará tratamento contra tuberculose multirresistente

Agência EFE

GENEBRA - A Federação Internacional da Cruz Vermelha (FICV) poderá aumentar em até oito vezes seus programas de tratamento contra a tuberculose multirresistente (MDR-TB) durante os próximos quatro anos, graças a um acordo de colaboração com a farmacêutica Eli Lilly and Company.

- Constatamos um aumento de casos de MDR-TB em algumas regiões e é essencial que ampliemos nossos programas para contribuir para neutralizar essa tendência. Os recursos da Lilly nos permitirão fazer isso - afirmou em comunicado à imprensa o secretário-geral da FICV, Markku Niskala.

A farmacêutica americana doará US$ 1,6 milhão para que a Cruz Vermelha possa financiar durante os próximos quatro anos diferentes programas contra a tuberculose multirresistente em países como Geórgia, Quênia, Moçambique e África do Sul.

A FICV e a Lilly se uniram na luta contra a MDR-TB em 2004 e, após os bons resultados obtidos no Cazaquistão, Romênia e Uzbequistão, decidiram ampliar sua colaboração e permitir que mais países se beneficiem do projeto, disse o presidente e diretor-geral da farmacêutica, Sydney Taurel.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada ano 8,8 milhões de pessoas desenvolvem a tuberculose e 1,6 milhão de doentes morrem.