Japão: maior feira de robôs do mundo aposta em humanóides serviçais

Agência EFE

TÓQUIO - A maior feira de robótica do mundo começou nesta quarta-feira em Tóquio com a participação de um elenco de humanóides prontos para ajudar a fazer o serviço doméstico, trabalhar como guias em um museu ou servir de cobaia para dentistas inexperientes.

A Feira Internacional do Robô 2007 (iREX, em inglês) ocorre até sábado sob o lema "Tecnologia Robótica Pioneira do Futuro - Da Indústria até a Vida Diária" e conta com a presença de 199 empresas e 66 organizações de todo o mundo.

O evento, que acontece a cada dois anos desde 1973, inclui tanto robótica com fins industriais como máquinas para uso pessoal ou doméstico.

Apesar da precisão, da rapidez e da coordenação dos braços articulados ter disputado a atenção do público interessado com a produção em massa, com demonstrações que abrangeram desde a montagem de veículos até tarefas de estabelecimento, os robôs do setor de serviços atraíram o maior número de curiosos.

A estrela do primeiro dia da Feira foi um humanóide com aspecto de mulher cuja principal habilidade era imitar o comportamento de um paciente na maca do dentista.

O protótipo, chamado "Simroid", é avaliado em quase US$ 1 milhão e poderia ser confundido com um ser humano, pois gesticula, se move e reage aos movimentos do dentista.

- O robô é usado como um simulador para práticas de médicos e residentes, com o objetivo final de amenizar a dor do paciente e proporcionar um tratamento mais agradável - afirmou Zenro Sasaki, membro do projeto coordenado pela Universidade de Odontologia de Tóquio.

A companhia está analisando um plano para fabricar o "Simroid" em larga escala e comercializá-lo em hospitais e universidades.

Uma versão diferente de robô para testes é o bebê "My Baby", um boneco inteligente que poderia ser confundido com um brinquedo, mas voltado a ensinar futuros pais sobre como tratar os recém-nascidos.

Outra aposta das empresas que participam do evento, que deve atrair mais de 130 mil visitantes, são os robôs-guia, que vão desde empregados domésticos até o modelo recepcionista, em suas variantes com ou sem tela, e que conseguem responder às perguntas.

É o caso do revolucionário "iRobi" da empresa sul-coreana Yujin Robot, criado para resolver simples dúvidas de seu proprietário como uma receita culinária ou tarefas de organização, como a agenda de atividades do dia.

- Você pode acordar de manhã e ser informado de seus compromissos para o dia. Este ano, lançamos o robô na Coréia do Sul com sucesso e no ano que vem devemos levá-lo aos Estados Unidos e à Europa - disse Kim Young-jae, diretor da divisão de limpeza da companhia.

Entre as funções do "iRobi" está a de aspirador e a de entreter, com Karaokê embutido. A Feira, com o maior número de participantes de todas as edições, também abriu espaço para os recordes.

O "i-Sobot", por exemplo, o menor humanóide do mundo, segundo o livro Guinness, com apenas 165 mm de altura, é capaz de dançar e fingir que toca violão. Ele é voltado ao setor de jogos.

As empresas japonesas Seisan Gijutsu e Kawasaki criaram um modelo capaz de resolver o famoso cubo de Rubik, com seus "RC-2" e "Cube-chan". O "RC-2" desafiava os participantes a misturarem as cores do cubo como quisessem, que ele posteriormente resolveria a trama sem falhas em menos de 80 segundos.

Segundo a organização, o crescimento da feira reflete a forte demanda por robôs, principalmente para o setor industrial, mas também para uso doméstico.