Problemas amorosos fazem mal ao coração, alerta estudo

REUTERS

LONDRES - Grandes romances e filmes de sucesso já falavam disso. Os médicos sempre desconfiaram. E agora um estudo feito junto a 9.000 funcionários públicos britânicos confirma que é possível morrer devido a um 'coração partido'.

A pesquisa, publicada na revista Archives of Internal Medicine, concluiu que o estresse e a ansiedade de relações hostis e cheias de atritos podem aumentar o risco de doenças cardíacas. A chance de enfarto ou de dores no peito cresce 34 por cento, em comparação às pessoas que se dão bem com os cônjuges ou parceiros.

- A condição cardíaca de uma pessoa parece ser influenciada por relações íntimas negativas - escreveram os pesquisadores.

- Demonstramos que os aspectos negativos de relacionamentos íntimos estão associados a doenças coronarianas.

Outras pesquisas já haviam demonstrado que boas conexões sociais têm um 'efeito protetor' contra doenças cardíacas, mas poucos estudos avaliaram como amizades e casamentos afetavam a saúde, segundo o epidemiologista Roberto De Vogli, do University College, de Londres, que dirigiu o estudo.

Foram avaliados funcionários públicos que preencheram questionários sobre aspectos negativos de seus relacionamentos com cônjuges ou amigos íntimos entre 1985-88 ou 1989-90.