Japoneses inventam camisas e jaquetas auto-refrescantes

REUTERS

TÓQUIO - Roupas auto-refrescantes podem ser coisa de ficção científica, mas para uma empresa japonesa não são apenas sinônimo de bom negócio como também uma maneira de ajudar o meio ambiente.

Camisas e jaquetas fabricadas pela Kuchou-fuku - literalmente "roupas ar-condicionadas" - mantêm seus usuários confortáveis mesmo em um calor sufocante, usando apenas 1/50 da energia de um pequeno ar-condicionado, disse Hiroshi Ichigaya, presidente-executivo da companhia.

- Até agora, o conceito de ar-condicionado implicava em resfriar todo o ambiente. Agora, nós podemos refrescar apenas o corpo - disse Ichigaya.

Duas pequenas ventoinhas costuradas na parte de trás de cada peça de roupa, equipadas com uma bateria recarregável de bolso, fazem o ar circular por toda a pele do usuário, evaporando o suor e mantendo as temperaturas baixas - um alívio bem-vindo para o verão japonês de temperaturas recordes dos últimos dias.

As roupas auto-refrescantes estão disponíveis em dez modelos e em uma grande variedade de cores, todas pelo preço de 11 mil yens (96 dólares). Elas são vendidas na internet e em um número limitado de lojas.

A companhia já vendeu cerca de 5.500 peças desde que entrou no mercado há três anos, a maioria para funcionários de fábricas.

Mas, embora refresque as roupas, é improvável que elas virem moda. Como as ventoinhas enchem as peças com ar, elas dão ao usuário um visual corpulento ilusório.

- Minha filha não vai usá-las porque a forma da roupa não é legal - admitiu Ichigaya.