Chineses perderam empregos após recalls da Mattel

REUTERS

PEQUIM - Muitos chineses que trabalhavam no setor de brinquedos perderam seus empregos após a Mattel anunciar um recall global de seus produtos, informou na sexta-feira uma associação da indústria, que insistiu que a confiança geral em seus produtos é alta. O fato se dá meses antes da importante temporada do Natal.

A China vem enfrentando uma grande batalha para convencer o mundo de que seus produtos são seguros após uma série de escândalos sobre vários de seus produtos, desde ração para animais e remédios estragados até brinquedos e pasta de dente. Em seu segundo recall neste mês, a Mattel, maior fabricante de brinquedos dos EUA, anunciou, na terça-feira, a inspeção de milhões de brinquedos fabricados na China devido a problemas com pequenos ímãs e tinta de brinquedos com chumbo. O recall também atingiu brinquedos que foram vendidos no Brasil.

A companhia alertou que novos recalls podem ser anunciados enquanto os testes são realizados. A associação de fabricantes de brinquedos da China, representante de cerca de 1.500 empresas e fornecedores, afirmou em comunicado que a produção de bens de baixa qualidade não foi deliberada.

- A indústria em si não pretendia produzir bens de baixa qualidade e pagar um alto preço por seus erros - explicou.

- A maioria dos empregados vai ter de deixar as fábricas em que trabalhavam há muitos anos e estão enfrentando problemas de desemprego ou para encontrar novos trabalhos. Isto teve um enorme impacto na indústria e na sociedade. Os recentes recalls foram instigados por marcas estrangeiras. Ninguém ficou ferido.

May Liang, secretária-geral da indústria, disse que as encomendas permanecem altas no momento, e que os brinquedos para o Natal já foram, em sua maioria, despachados.

- As companhias estrangeiras ainda têm muita fé nos brinquedos 'made-in-China'. Nós temos cada vez mais participação no mercado de brinquedos global. Isto é um sinal de aprovação aos brinquedos chineses - disse.