Brasileiros voltam a bater recorde de uso da Internet em julho

REUTERS

SÃO PAULO - Os internautas residenciais brasileiros aumentaram em cinco por cento o tempo que passaram na Internet em julho na comparação com o mês anterior, para uma média de 23 horas e 30 minutos. Com isso, eles voltaram a bater o próprio recorde de permanência na rede, informou uma pesquisa nesta sexta-feira.

De acordo com uma sondagem do grupo Ibope//NetRatings, os brasileiros aumentaram em 1 hora e três minutos o tempo de navegação residencial, ficando à frente de Estados Unidos (19h52), Japão (18h41), Alemanha (18h07) e Austrália (17h51), entre os dez países pesquisados pela companhia.

Segundo a empresa, o tempo de navegação dos brasileiros em casa é o maior já reportado pela Nielsen//NetRatings desde o início das suas operações globais, em 1998.

O número de usuários domiciliares aumentou 2,6 por cento em julho em relação a junho, subindo para 18,5 milhões de pessoas, marca também inédita de acordo com a pesquisa.

No segundo trimestre, "o total de pessoas com mais de 16 anos com acesso à Internet em qualquer ambiente (casa, trabalho, escolas, universidades e outros locais) atingiu 36,971 milhões, um aumento de 13,5 por cento sobre igual período do ano passado".

As categorias que receberam mais visitantes no Brasil foram entretenimento, com 14,9 milhões de pessoas; estilo de vida, com 8,4 milhões; e finanças, com 7,7 milhões de internautas.

Em julho, a participação das mulheres atingiu a marca inédita de 48,5 por cento do total dos internautas residenciais ativos, informou em comunicado Alexandre Magalhães, gerente de análise de mercado do IBOPE/Inteligência.

- O crescimento constante do número de mulheres (em 2000, cerca de 40 por cento dos internautas eram do sexo feminino), ajuda a explicar porque entre as categorias que mais crescem em número de usuários estão ''Casa e Moda'' e ''Família e Estilo de Vida"' - disse Magalhães.