Bush veta legislação para ampliar pesquisa com células-tronco

REUTERS

WASHINGTON - O presidente americano, George W. Bush, vetou nesta quarta-feira, pela segunda vez, uma legislação para expandir pesquisas com células-tronco embrionárias financiadas pelo governo federal. Uma maioria de dois terços de votos será necessária no Senado e na Câmara para sobrepor a oposição de Bush e tornar a medida lei, mas os defensores do projeto admitem que não contam com tal apoio.

Além de vetar essa legislação pela segunda vez em dois anos, Bush emitiu um decreto para incentivar os cientistas a tentar descobrir novas formas de obter células-tronco sem prejudicar embriões humanos.

Mas os defensores da legislação afirmam que ela só permitiria aos cientistas usar embriões remanescentes de tratamentos de reprodução assistida, que seriam descartados.

Pouco depois de assumir o governo, em 2001, Bush permitiu que o financiamento federal fosse usado para 78 linhagens de células-tronco então existentes. A maioria demonstrou ter uso limitado. Os democratas prometeram pressionar para ampliar o financiamento federal a esse tipo de pesquisa quando ganharam o controle do Congresso, no ano passado.

A senadora Hillary Rodham Clinton, umas das pré-candidatas democratas à Presidência, criticou a atitude de Bush e afirmou:

- Quando eu for presidente, vou suspender a proibição às pesquisas com células-tronco.

Este mês, cientistas afirmaram que fizeram progressos, em camundongos, no estudo de métodos alternativos para produzir células-tronco embrionárias. Mas eles advertiram que não há garantias de sucesso rápido com células humanas, e pediram a aprovação da lei. Democratas disseram que precisam só de um voto no Senado para conseguir a maioria de dois terços, mas ainda precisariam conquistar dezenas de votos na Câmara para derrubar o veto de Bush.