Descoberta causa da morte de 'Otzi', a mais antiga múmia encontrada

Agência JB

ROMA - Cientistas descobriram a causa da morte da múmia mais antiga já encontrada. O homem do gelo pré-histórico italiano 'Otzi' morreu há cinco mil anos de um ferimento no ombro provocado por uma flecha, revelaram pesquisas feitas com seu corpo, perfeitamente preservado. Otzi foi descoberto nos Alpes italianos em 1991 usando roupas feitas de couro e capim e carregando uma machadinha de cobre, arco e flechas.

O corpo de Otzi foi submetido a vários exames científicos para estudar a vida na era pré-histórica, mas até agora não se sabia se ele morreu de um ferimento provocado por uma flechada, de uma queda grande ou de frio, enquanto escalava as montanhas.

Nesta quarta-feira, porém, uma equipe de pesquisadores italianos e suíços disse que empregou moderna tecnologia de raios-X para comprovar que a causa da morte foi uma lesão sofrida numa artéria próxima ao ombro em decorrência de uma ponta de flecha que permanece até hoje cravada nas costas do homem do gelo. Um grande hematoma pôde ser constatado no tecido que cerca a lesão, e os pesquisadores concluíram que Otzi provavelmente morreu pouco depois de a lesão ser provocada.

Pesquisadores haviam sugerido anteriormente que ele poderia ter sido morto por um caçador rival após uma luta e concluíram que suas últimas refeições consistiram em carne de veado e de íbex. Os resultados mais recentes da pesquisa apareceram online no 'Journal of Archaeological Science' e serão publicados pela 'National Geographic' em julho.